Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Rectangle 212 + Rectangle 212 + Rectangle 212 Created with Sketch. Slice 1 Created with Sketch Beta. > Slice 1 Created with Sketch Beta. > Slice 1 Created with Sketch Beta. > Slice 1 Created with Sketch Beta. > Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Twitter Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta. Slice 1 Created with Sketch Beta.

16 Jul 2021

A segurança industrial não deixa espaço para o perigo

Uma gestão responsável e proativa de segurança industrial é capaz de reduzir os custos de seguro em até 20% e aumentar 5% na produtividade, resultado que só é possível quando a segurança é incorporada à cultura corporativa, tornando-se o centro das estratégias de negócios e um compromisso com a sociedade. Este é um importante diferencial em relação às empresas que apenas seguem os requisitos mínimos de segurança exigidos por lei para garantir continuidade no funcionamento.

O foco em segurança industrial é uma forma de garantir o bem-estar contínuo dos colaboradores, pois, mesmo que tenha ocorrido um declínio nas taxas de incidentes ou acidentes nas últimas décadas, as possibilidades ainda estão presentes na rotina do setor. Quando os padrões mais elevados de segurança industrial se tornam parte natural da rotina de trabalho, a mentalidade de todos os envolvidos na operação muda e a segurança é cada vez menos negligenciada.

Estágios de um sistema de gestão de segurança industrial

A cultura de segurança industrial pode ser avaliada por uma ferramenta desenvolvida e registrada pela DuPont Sustainable Solutions denominada Curva de Bradley™. Nela a maturidade de um sistema de gestão pode ser dividido em 4 etapas:

  • Estágio Reativo: as pessoas não assumem responsabilidade, elas acreditam que a segurança é mais uma questão de sorte do que de gerenciamento e que "acidentes acontecem".
  • Estágio Dependente: as pessoas encaram a segurança como uma questão de seguir as regras elaboradas por alguém e a equipe de gerenciamento acredita que a segurança poderia ser controlada "se as pessoas só seguissem as regras".
  • Estágio Independente: as pessoas assumem responsabilidades para si mesmos, acreditando que a segurança é pessoal e que podem fazer a diferença com suas próprias ações.
  • Estágio Interdependente: os colaboradores sentem-se donos da segurança e assumem responsabilidades para si e para os outros, acreditando que o verdadeiro aprimoramento só pode ser alcançado como grupo e que a ausência de lesões é uma meta viável. Nesse caso, a organização obtém benefícios comerciais significativos que se refletem em mais qualidade, maior produtividade e crescimento nos  lucros.

Leia também: A importância de uma gestão ativa de saúde e segurança no trabalho

Segurança industrial na cultura organizacional

Os processos de segurança industrial podem ser divididos em três níveis: o nível superficial, que inclui tecnologias, produtos e diretrizes; o nível médio, que inclui os valores, estratégias e objetivos da empresa; e o nível profundo, que é o foco na segurança comportamental, ou seja, quando os preceitos de segurança estão enraizados nas atitudes dos colaboradores, mesmo quando não há ninguém olhando.

Quando a segurança comportamental é abordada antes de qualquer outra estratégia, a redução nos índices de incidentes é ainda mais notável. Entretanto, a única forma disto dar certo é aplicar esse modelo de segurança de cima para baixo, estando presente, primeiramente, na mentalidade do CEO, até chegar à equipe operacional.

Podemos citar duas importantes abordagens de segurança industrial, divididas pelos diferentes padrões e práticas de gestão. A primeira é a segurança ocupacional, que inclui a limpeza das áreas operacionais, a ordem nos processos, a adequação às instruções de trabalho, a higiene corporativa, os equipamentos de proteção individual e a implementação de práticas de trabalho mais seguras.

Já a segunda, segurança de processo, tem como objetivo prevenir acidentes operacionais, danos aos equipamentos, interrupções na produção e emissões prejudiciais à natureza. Embora os efeitos colaterais da falta deste modelo de segurança industrial sejam menos comuns, podem causar danos extremamente graves às pessoas envolvidas, ao meio ambiente e também à propriedade e reputação da empresa.

A Pöyry -  empresa europeia líder em serviços de engenharia, projetos e consultoria, com alcance global - atua de modo seguro e responsável, eliminando perigos, reduzindo riscos, promovendo a saúde e segurança de seus colaboradores. Além disso, respeita as comunidades ao seu redor, protegendo o meio ambiente com o uso sustentável de recursos e a prevenção da poluição, acelerando a transição para uma sociedade mais sustentável.

Indicadores de segurança industrial

A gestão de segurança industrial não acaba quando todas as medidas de proteção são instaladas, é necessário acompanhar os resultados continuamente. Para isso, existem dois tipos de indicadores de segurança industrial: os reativos e os proativos.

Os indicadores reativos são um pouco mais simplistas, já que apenas alertam a ocorrência de um acidente ou incidente industrial e buscam as soluções adequadas para remediar a situação. Caso seja o único modelo de indicador que a empresa utiliza, pode causar uma falsa sensação de segurança na rotina de trabalho e reduzir a percepção de riscos futuros.

Os indicadores proativos, por outro lado, são baseados em antecedentes e trabalham na prevenção de acidentes ou incidentes de trabalho. Esse modelo de monitoramento se desenvolve continuamente, mesmo quando não há a ocorrência de problemas em um longo período. É excelente para auxiliar na tomada de decisões relacionadas à segurança industrial e na manutenção de equipamentos.

Entre os procedimentos de segurança industrial que devem ser levados em consideração está o controle de atividades perigosas, como a substituição de produtos químicos nocivos e a minimização da duração e intensidade de exposição a eles. Além disso, podem ser implementadas medidas como a detecção automática de gás e a instalação de tubulações mais adequadas para a manipulação de produtos químicos.

Leia também: Auditoria independente favorece a gestão de riscos e amplia qualidade de projetos

A segurança industrial na Pöyry

A segurança é a base cultural da Pöyry, que conta com especialistas em serviços como licenciamento, análises de risco e segurança para projetos de investimento, desde o desenvolvimento até a implantação, sendo o melhor parceiro para clientes que atendem a rígidos padrões de segurança, onde quer que a empresa esteja operando.

Making Future